Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

caixa-169.png

logo portlet.jpg

 
» Página Inicial Conhecendo Alagoas Regiões SÃO FRANCISCO

SÃO FRANCISCO

O Rio São Francisco, em Alagoas, tem 240 km de extensão. Banha cidades históricas, povoados, praias fluviais; atravessa serras e cânion encantando a todos e gerando riqueza às comunidades ribeirinhas. 

Devido à força de suas águas, no início do século 20 foi construído a Hidrelétrica de Angiquinho e na década de 80, à de Xingó, que garante grande parte da energia do Nordeste. Com o represamento das águas, para construção da hidrelétrica, se formou um imenso e profundo lago onde são realizados passeios de barcos entre o majestoso cânion, paredões esculpidos pela natureza que chegam a ter 80 metros de altura. 

Carinhosamente chamado de Velho Chico, o rio foi descoberto em 1501. Nasce em Minas Gerais e a natureza determinou que ele desaguasse soberano no mar de Alagoas. 


PIAÇABUÇU

Foz


Distante 135 km de Maceió e com uma população de 12 mil habitantes, o nome da cidade vem de origem indígena que significa “Palmeira Grande”. O povoado surgiu em 1660 e tornou-se cidade em 1952 - antes fazia parte do município de Penedo.

Um dos maiores atrativos turísticos de Alagoas fica em Piaçabuçu, na Foz do Rio São Francisco, cenário de indescritível beleza quando suas águas se encontram com o mar.

O município tem o maior banco de camarão do Nordeste e é um importante pólo pesqueiro.

Na Praia do Peba acontece anualmente, no mês de novembro, uma gincana de pesca de arremesso. A praia, com 26 km de extensão, é Área de Proteção Ambiental e abriga um rico ecossistema em mangues, mata atlântica, aves migratórias, tartarugas, dunas e coqueirais. 

PENEDO

Penedo


Distante 160 km de Maceió, tem uma população de 60 mil habitantes.

A cidade, erguida sobre um rochedo às margens do Rio São Francisco no século 16, é considerada uma das mais bonitas e antigas cidades históricas do País. O que chama atenção na cidade é o seu rico patrimônio histórico e cultural centrado em igrejas, conventos e palacetes dos séculos 17 e 18 que ainda se encontra em bom estado de preservação.

Passou a ser cidade em 1842, e hoje seu passado esta presente no seu conjunto arquitetônico tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Nos passeios de barco pelo majestoso Rio São Francisco, de preferência ao pôr-do-sol, vislumbram-se paisagens encantadoras nas ilhas e vilarejos.
Penedo tem ainda a Várzea da Marituba, uma belíssima reserva ecológica, com vegetação peculiar.

PÃO DE AÇÚCAR
Distante 227 km de Maceió, possui uma população de 24 mil de habitantes.

 

Pão de Açucar


A cidade, que fica às margens do Rio São Francisco, antes se chamava Jaciobá, nome indígena que significa “Espelho da Lua”.

O povoado passou a ser cidade em 1877. Sua origem vem de uma fazenda de gado chamada Pão de Açúcar.

Acredita-se que o proprietário colocou esse nome devido à elevação no morro do Cavalete, onde seu formato parecia uma fôrma usada para clarificar o açúcar.

Do acervo arquitetônico da cidade se destacam as Igrejas do Bonfim; de Jesus- Maria e José, Sagrado Coração de Jesus, Nossa Senhora da Luz, todas tombadas pelo Patrimônio Histórico Municipal, como também o sobrado que o Imperador, D.Pedro II, pernoitou quando visitou a cidade em 1859, que está sendo restaurado para ser transformar em museu.

Uma estátua do Cristo Redentor foi erguida em cima do morro na década de 50, o que desperta ainda mais a sensibilidade poética dos seus filhos ilustres. Do alto, pode-se ver toda a cidade, o  Rio São Francisco com suas  praias e a comunidade de Niterói, do outro lado da margem, em Sergipe.

A descoberta de sítios arqueológicos localizados na Serra dos Meirús, na Pedra do Navio, Pedra do Alemar onde foram encontradas inscrições, fósseis de animais e objetos pré-históricos, têm atraído a atenção de visitantes e estudiosos.

Outro atrativo do município é o povoado Ilha do Ferro, que se destaca pelo artesanato confeccionado em madeira, coco, couro, bordados, palha e renda de bilro. 

PIRANHAS

Piranhas


Distante 280 km de Maceió, e com uma população de 25 mil habitantes, a cidade é cercada de morros e emoldurada pelo Rio São Francisco.

A cidade encanta seus visitantes pela hospitalidade e preservação do acervo de estilo barroco, dos séculos 18 e 19.

Piranhas tem vários sítios arqueológicos e belas paisagens, um destino perfeito para quem gosta de passeios ecológicos e de aventura. Das várias trilhas em meio à vegetação da caatinga se vislumbram o belo panorama do Velho Chico. As trilhas do Rio Capiá, da Via Férrea, do Mirante do Talhado, da Pedra do Sino são testemunhas da história do sertão.

Outro atrativo do município é o passeio pelo rio na canoa de Tolda, um tipo de embarcação dos anos 50, restaurada para manter viva e enriquecer ainda mais a cultura do sertanejo.

O folclore faz parte da cultura, são vários grupos de reisados e bandas de pífanos que alegram as festas populares.

O artesanato é encontrado no povoado de Entremontes. São os bordados em ponto-de-cruz e redendê que chamam atenção pela beleza e criatividade.
Piranhas oferece uma gastronomia diversificada, a Pituzada, um tipo de camarão grande extraído do rio e preparado ao molho de leite de coco.

DELMIRO GOUVEIA

 

Delmiro Gouveia


Distante 283 km de Maceió; tem uma população de 40 mil habitantes. O  nome da cidade é em homenagem a Delmiro Gouveia, empresário cearense que contribuiu para o desenvolvimento do País e, hoje,  é um dos mais desenvolvidos municípios do Sertão alagoano.

Em 1913, Delmiro Gouveia construiu, no alto de um paredão, a Usina de Angiquinhos, a primeira hidrelétrica da América Latina, aproveitando as quedas da Cachoeira de Paulo Afonso.

Em 1914 construiu a Companhia Agro Fabril Mercantil, a primeira na América do Sul a fabricar linhas para costura e fios para malharia, sendo conhecida como fábrica da Pedra. Foi nesse mesmo ano que chegou o primeiro automóvel no município.

Em 1916, inaugurou a estação telegráfica da Vila.


ÁGUA BRANCA


Agua Branca


Água Branca é o segundo ponto mais alto de Alagoas; está situado no alto da Serra do Ouricuri, a 571 metros de altitude, num vale que se destaca pela beleza cênica e o clima ameno. Distante 302 km de Maceió, tem uma população de 20 mil habitantes. O nome da cidade originou-se por ser rica em fontes de águas muito límpidas.

A cidade conserva muitas edificações do período colonial: casario preservado, a casa da Baronesa, as igrejas do século 18, Nossa Senhora do Rosário e Nossa Senhora da Conceição que se tornou a padroeira, são relíquias do patrimônio histórico.

Água Branca é rica em serras com nascentes de cachoeiras e riachos, atrativos ideais para se contemplar a natureza. No percurso da trilha ecológica existem casas de farinha e engenhos que fabricam rapadura.

Toda beleza do lugar pode ser contemplada no Mirante do Cruzeiro que oferece uma visão panorâmica da cidade e das serras à sua volta.

 

 

Ações do documento

banner_lai+sic_LATERAL-A-PLONE3.jpg
banner_lai+sic_LATERAL-B-PLONE3.jpg

banner_GERAL_LATERAL_sic-plone3.jpg

cadastur.jpg

alagoas_praias_copa.jpg

cotacao_do_dolar.jpg

tabua_das_mares.jpg

balneabilidade.jpg



Opiniões sobre Hotéis em Alagoas para suas ferias em Alagoas